sexta-feira, 26 de abril de 2013

Se não ou senão?

Emprega-se o primeiro quando o se pode ser substituído por caso ou na hipótese de que.

Exemplo: Se não chover, viajarei amanhã. ( = caso não chova - ou na hipótese de que não chova -, viajarei amanhã.)

Se não se tratar dessa alternativa, a expressão sempre se escreverá com uma só palavra: senão.

Exemplos: Vá de uma vez, senão você chegará tarde ( senão = caso contrário).
Nada havia a fazer senão conformar-se com a situação. (senão = a não ser).




Fonte:" Português Instrumental" - Dileta Silveira Martins e Lúbia Scliar Zilberknop.

2 comentários:

Guilherme Vieira C. disse...

Ola! Este meu comentário não é relativo a esta sua publicação, mas preciso contactar professores de língua portuguesa...

Há um certo tempo atrás comecei a participar como voluntário na produção de materiais didáticos e gratuitos para o ensino médio e me deparei com a seguinte dúvida:

Como saber quais tópicos eu devo colocar no ensino da gramática da língua portuguesa do ensino médio? Existe um padrão a nível nacional?

Conversei com um professor e ele me passou uma "diretriz curricular" (www.educadores.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/diretrizes/dce_port.pdf‎).

Mas este documento não é muito "objetivo", gostaria de um que enumerasse os tópicos como em um livro de gramática, de forma bem objetiva.

Ah! E mais, ele disse que essas orientações parecem depender da região. Mas aí eu penso, então uma pessoa formada no ensino médio em Minas Gerais e outra em São Paulo vão estudar coisas diferentes mesmo no ensino da gramática? Estranho isso.

Não há nenhum padrão nacional (mais detalhado)? Não há vontade de centralizar e organizar melhor estes estudos?

Muito obrigado pela sua atenção.

(não se preocupe se não puder me ajudar, estarei enviando esta pergunta a outros professores também)

Gabriela Pimenta disse...


Olá,

Que coincidência, pois estou juntando arquivos para publicar uma gramática. Porém, ainda não fui atrás dos procedimentos burocráticos, digamos assim. Bom que vou pesquisar isso também. Mas por enquanto o que achei foi o seguinte: você tem sim que seguir os parâmetros curriculares nacionais da língua portuguesa (veja com o MEC), também senti a falta dos tópicos nesse documento. Pelo que percebi as orientações não dependem da região, mas há um dirigente para cada região, podendo haver adaptações para cada região, não é obrigatório. E a dica que te dou, que é o que vou fazer também é procurar uma editora de livros e ver se eles têm isso mais detalhado. Qualquer notícia entro em contato. Mande-me uma email: gabipimenta22@gmail.com

Alguns links que possam clarear algo:

http://pos.letras.ufg.br/pages/2109
http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/linguagens02.pdf